A segurança alimentar é um dos problemas mais importantes de saúde pública em todo o mundo. Nos tempos modernos, a distribuição dos alimentos é global, por isso, se um alimento se torna perigoso para a saúde, o risco de disseminação alargado de doença é elevado.

As causas têm de ser identificadas rapidamente e os consumidores precisam de ser informados do perigo.

Para garantir a segurança alimentar, devemos saber:

  • Quais as causas das doenças provocadas pelos alimentos;
  • Quais as etapas do processo de produção que acarretam maiores riscos;
  • Como proteger o consumidor;
  • Como proteger o consumidor.

A maior parte das doenças relacionadas com alimentos é causada pela ingestão de produtos contaminados por bactérias patogénicas, fungos, vírus, parasitas ou toxinas produzidas por microrganismos. As causas são, frequentemente, a falta de higiene, a falta de controlo e a incorreta armazenagem ou preparação.

As doenças provocadas pelos alimentos também estão dependentes do facto das colheitas e dos produtos frescos terem estado ou não expostos a químicos tóxicos, metais pesados, pesticidas ou resíduos farmacológicos.

Uma pequena minoria de pessoas é alérgica e sensível a substâncias encontradas em alimentos ou a alguns aditivos alimentares.

Quanto aos alimentos novos, aditivos e alimentos produzidos através de modernos processos a questão da segurança alimentar tornou-se ainda mais importante. Nestes casos, a investigação, a avaliação dos riscos e os princípios preventivos, devem ser tidos em conta antes da aprovação e lançamento dos produtos no mercado.

Tendências na Segurança Alimentar:

  • Crescentes exigências do consumidor;
  • Seguimento ao longo da cadeia alimentar;
  • Transparência na produção;
  • Documentação;
  • Comunicação ao consumidor;
  • Exigências mais rígidas das autoridades;
  • Certificados de inspeção independentes.

Normas que contribuem na garantia e cumprimento da Segurança Alimentar:

Sistema de Gestão ISO 22000, Referenciais BRC e BRC-IOP , Referenciais IFS, Referenciais Global GAP, Esquema FSSC 22000 e HACCP Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controlo,

Fonte: APN Associação Portuguesa dos Nutricionistas